Alimentação infantil

Ovinho Caipira

Aqui em casa, amamos um ovinho.

Se for caipira com a gema bem vermelhinha então…

Olha que amor esse suporte de ovos que comprei na Siga. 
Na verdade foi a Val que achou e me mostrou! Acho q ela é a mais fanzoca de ovo com gema mole que já vi.

Os ovos, compramos na feirinha de orgânicos q tem toda sexta na frente de casa. E são Mara!

“Todo ovo tem ácido fólico, uma vitamina que combate a anemia, reduz o risco do mal de Alzheimer, previne doenças cardíacas, derrames e ainda ajuda controlar a hipertensão.
Comer ovos todos os dias no café da manhã pode até ajudar a emagrecer. É que ele tem uma proteína que aumenta a sensação de saciedade, ou seja, a gente demora mais a sentir fome.” – Fonte: G1

E me desculpe, o melhor na minha opinião é a gema, então descarta-la, nunca!

De vilão a mocinho.

Alimentação infantil

Alimentação infantil – Uma luta com a Valentina

Como já disse algumas vezes, a Valentina não se alimenta da maneira que eu gostaria.

Ela come bem o arrozinho (ou massa), com feijão e carninha, mas legumes e verduras é um sacrifício!
Eu escondo, invento, amasso corto pequeno e aí a coisa vai.
Frutas é uma maravilha, ela come de tudo!!
Mas quando voltei a trabalhar e ela voltou para a creche, ela pegou uma virose, um resfriadinho, que a fez diminuir a quantidade de comida que comia e ainda as vezes vinha anotadinho na agenda da creche q ela não havia almoçado num dia, jantado no outro, ou não queria comer o lanchinho.
Então, por mais que tenha janta na creche, vai a mamãe aqui fazer uma comidinha bem caprichada para a pequenina para eu ter a certeza que aqui em casa, na janta pelo menos, ela comeria bem e com qualidade.
E ainda depois da janta dou uma fruta de sobremesa, e posso ficar com a consciência mais tranquila.
Final de semana aqui em casa eu tb não marco bobeira. Todas as refeições são feitas no mesmo horário de sempre, e nada de porcarias.
Claro que quando agente sai, não dá para manter essa rotina e rigorosidade. Mas em casa, já que ela não anda comendo tão bem assim na creche, eu não posso bobear.
Sei também q é uma fase, logo ela estará super adaptada na creche, curada do resfriado e consequentemente comendo melhor, aí posso relaxar e deixar ela comer uma “besteirinha” final de semana, ou dar uma janta mais light, como um sanduichinho ou um ovinho purinho que ela tanto gosta.
Arroz carreteiro: especialidade do papai que ela tanto gosta!
Alimentação infantil

O uso da mamadeira até os 2 anos de idade.

Estava lendo uma matéria da Crescer, sobre o uso da mamadeira, onde um estudo comprova que o uso prolongado da mamaneira, aumenta o risco de obesidade nas crianças.

A idade ideal para que a criança pare de usar a mamadeira, seria aos 2 anos de idade (segundo a matéria) e então a transição de largar a mamadeira seria feita por um copo com bico rígido.

Mais sobre a matéria:

Se o seu filho já tem mais de 2 anos e ainda usa mamadeira, atenção! Um estudo realizado pelas Universidades de Temple e Ohio, ambas dos Estados Unidos, revelou que seu uso prolongado eleva o risco de problemas de peso. A análise, feita com 6.750 crianças, mostrou que a prevalência de obesidade nas que tomavam mamadeira aos 2 anos era de 23% aos 5. Já nas que não tomavam, era de 16% na mesma idade.

Em entrevista à CRESCER, Rubens Feferbaum, pediatra e nutrólogo do Hospital Infantil Sabará (SP), explica que o problema não está apenas no conteúdo (como leite e sucos), mas na forma como ele é absorvido pelo organismo. Na mamadeira, é ingerido passivamente, o que não ocorre se for no copo. Sem contar que nessa idade, a criança já tem um ganho calórico por outras fontes de alimentos, o que pode fazer com que a mamadeira, oferecida fora de hora, seja um extra no seu acúmulo de calorias diárias. Confira entrevista completa.

CRESCER – Por que uma criança que toma mamadeira aos 2 anos tem risco de ser obesa mais tarde?
RUBENS FEFERBAUM –
O grande problema é o uso inadequado da mamadeira após os 2 anos (ou mesmo antes dessa idade), que faz com que a criança tenha uma ingestão acentuada pela maneira passiva como o líquido é absorvido. Assim, ela tem dificuldade de sentir saciedade da fome. Dessa maneira, dormir com a mamadeira ou oferecê-la de forma frequente à criança para acalmá-la é um erro alimentar e pode levar à obesidade. Como em geral o que os pais dão na mamadeira é leite e sucos, alimentos ricos em proteína e/ou caloria, ela excede as necessidades energéticas diárias, que se acumulam no organismo como gordura.
C. – No Brasil, é costume os pais estenderem tanto o período do uso da mamadeira?
R.F. –
Não temos uma estatística a respeito disso, mas observamos, na prática clínica, que frequentemente ultrapassa os dois anos. No entanto, a transição da mamadeira para o copo é uma preocupação dos pediatras. Sempre que me deparo com uma criança com sobrepeso ou obesidade, mesmo lactente, verifico esse aspecto da administração de alimentos na forma líquida.

C. – Como prevenir a obesidade nas crianças?
R.F. –
É fundamental lembrar que a amamentação exclusiva deve acontecer até o 6o mês de vida do bebê e sua manutenção junto com a alimentação complementar (papas de legumes, frutas) até os 2 anos. Lembro que as crianças amamentadas no peito por mais tempo têm mais facilidade de aceitar o copinho para tomar líquidos e costuma recusar a mamadeira. Já, quando há necessidade de a criança tomar fórmulas infantis, elas devem ser aquelas nutricionalmente balanceadas para lactentes. É importante também que a família entenda que leite e suco são alimentos e para hidratar é necessário água (líquido sem calorias).

C. – Se uma criança já tem 2 anos e ainda usa mamadeira, como mudar esse comportamento?
R.F. –
O primeiro passo é paciência. Depois, deve-se regularizar os hábitos da criança e ter uma disciplina no horário das refeições, perfeitamente possívl para uma criança de 2 anos. Depois, comprar um copo que seja atrativo ao filho. Caso ela não aceite, tente usar bicos com furos mais rígidos (tipo “bico de pato”), e continue com a adaptação ao copo, aos poucos.

C. – Além da obesidade, que outros prejuízos a criança pode ter em sua saúde pelo uso prolongado da mamadeira?
R.F. –
Cáries dentárias precoces, problemas no desenvolvimento da arcada dentária, no palato e na mandíbula. Além disso, predisposição a ter dificuldade em aceitar alimentos sólidas, o que pode levar a deficiências nutricionais.”

Fonte: Revista Crescer

Valentina tem 1 ano e 9 meses. E só mama na mamadeira para dormir…
Foi uma luta tirar as mamadeiras noturnas lembram? Confere aqui!


Com a titia Renata, aos 4 meses de idade.

Pena, dó, dor no coração de mãe que lhes fala em ter que pensar em tirar a mamadeira dela tão loguinho.
Eu usei mamadeira até os 6 anos… pasmem… claro que não deixarei ela chegar nesse ponto hahaha… mas que era boa minha mamadeirinha todo santo dia quando acordava… aaaa… isso era!

Mas farei a transição com ela sim, numa dessa ela se adapta fácil não é mesmo? Vou começar o leite no copinho aos poucos, ver se ela aceita… e farei isso bem devagar.

Agora, 1 ano de 9 meses – cara de mau humor do sono.

Oh my… adoro ela me pedindo “mamadeia” para dormir =/

Alimentação infantil, Alimentação Saudável, Livros

Dica de Livro: Deliciosos e Disfarçados

Dica de Livro: Deliciosos e Disfarçados – Jéssica Seinfeld

A minha amiga Rita, havia falado no seu blog sobre esse livro e desde então fiquei com vontade de tê-lo.
Para as mamães de bebês maiores que já comem comidinha de “gente” é uma Maravilha! O livro tem várias receitas saudáveis para as crianças, e não são nada sem graça.

Tem receita de hambúrguer, nuggets, brownie, massas, enfim, tudo q a molecada gosta, feita de uma maneira saudável e o melhor, com legumes, frutas ou verduras escondidos em sua receita.

Se vc está cansada de escutar não do pequeno para a comida saudável, esse é o canal.
Vc não precisa saber cozinhar aquela coisa toda pq ele dá um passo a passo bem explicadinho sobre tudo.

Não é todo legume ou toda fruta q a Valentina come. E outra, ela está na fase de comer sozinha com a mão, então assim tenho mais opção do que dar a ela.

Ja fiz algumas receitas dele, a Valentina e o papai (q tb ñ é mui fã de legumes e verduras) aprovaram!

Alimentação infantil, Sono

Mamadeira e o berço

Me lembrei de mais alguns detalhes de quando estávamos lá no PR.

Qndo a Bale ficou com febre, ela parou de comer e tomar mamadeira, naquele desespero de mãe, decidi tentar trocar o leite dela… ela só tomava o leite de caixinha, decidi fazer mais uma tentativa c/ o Ninho 1+ (q o pediatra já havia me indicado), claro, ela recusou, mas depois q voltou a se alimentar, eu fui misturando o leite de caixinha com o Ninho 1+ em doses homeopáticas… e 3 dias depois ela passou a tomar a “dedeira só com o Ninho 1+ e claro uma colheradinha de Mucilon junto, vou variado os sabores deste.

NINHO® Fases 1+

Para crianças a partir de 01 ano de idade.

É comum notar que a partir do primeiro ano de vida, as crianças tornam-se mais independentes e curiosas. Nesta fase, as crianças começam a desvendar esse “novo mundo” através do toque e até mesmo, em vários momentos, utilizam a boca para explorar as tantas novidades que as cercam. Esses hábitos podem deixá-las ainda mais expostas a “microorganismos indesejáveis”. Por isso, nesta fase, é importante proteger a criança por dentro, com o mesmo cuidado e carinho com que você a protege por fora.

Pensando nos hábitos e necessidades específicas das crianças a partir de 01 ano de idade, a NESTLÉ® desenvolveu o NINHO® 1+, com Prebio 1, um composto exclusivo de fibras prebióticas, que contribuem para o equilíbrio da flora intestinal* da criança. 

* Seu consumo deve estar associado a uma alimentação equilibrada e hábitos de vida saudáveis.

Fonte: Nestle.com.br

Outra vez estou com dificuldades com o sono da Valentina… Aff….

Acontece q na casa da minha mãe, estávamos dormindo as duas numa cama de casal…
E qndo chegou aqui, adivinhem? Não queria ficar no berço de maneira nenhuma!
Eu estou fazendo como de praxe, faço um climinha no quarto, dou a mamadeira, ela acaba adormecendo no meu colo e quando coloco no berço… chororô… faço dormir de novo, e assim vai…
Fez uma semana na quinta q voltei, e ainda ñ consegui colocar ela nos eixos… Quer dizer, em partes sim, pq nas sonecas diurnas ela está aceitando o berço, mas p/ dormir a noite, é uma luta…
Ela quer dormir é na cama, segurando a mão do pai dela ou me fungando… falei p/ ele q acho q ainda é “trauma” da viajem, por ter se separado dele… ele diz q em partes sim, mas é manha mesmo…
A noite, ela até dorme meia hora no berço, mas qndo se dá conta, faz um escândalo, e temos que, (por favor, não me critiquem) ir p/ cama mais cedo p/ q ela durma. (na nossa cama). Pq qndo ela se dá conta q estamos na sala, ela quer ficar junto… ontem mesmo, ferveu horrores depois q acordou do seu sono as 21hrs, (q era p/ ser o sono da noite inteira, só acordar as 5hrs da manhã p/ uma mamadeira e voltar a dormir até as 8hrs), pois bem, meia noite e ela sem sono, brincando, fervendo, rindo… fiz de tudo, até q ela dormiu, e p/ colocar no berço? Berreiro, claro! Tentei fazer dormir no berço e tb… nada… na canseira, peguei o travesseiro dela, coloquei no nosso “meinho” e em 1 min. sem reclamar, chorar ou se agitar, ela dormiu…
De madrugada eu já ñ aguentava mais dormir na beirinha da cama, ser chutada e tal, fui colocar no berço e… já sabem… conclusão… noite inteira na nossa cama, e eu, um caco…
Vai a mamãe aqui, partir para mais uma maratona de adaptação (re-adaptação) com a D. Valentina.
Conto detalhes nas próximas noites…
Alimentação infantil

Campanha contra o bisfenol A em produtos infantis

Recebi um e-mail muito interessante com uma proposta ainda mais interessante, vejam:

“Oi Marcela,
Me chamo Fernanda, e junto com a tradutora e pesquisadora Fabiana Dupont escrevo o site O Tao do Consumo e o blog Jornada aos Restos do Mundo, que discutem o meio ambiente a partir do consumo e a geração de lixo, dando atenção especial às embalagens. Como mãe de duas meninas, de 4 e 1 ano, tenho me dedicado bastante a pesquisar sobre o bisfenol. O Tao e o blog são independentes e surgiram de uma preocupação nossa com a saúde (em especial das crianças) e o meio ambiente.
O bisfenol-A é usado na fabricação do plástico. Segundo pesquisas, pode provocar puberdade precoce, câncer, alterações no sistema reprodutivo e no desenvolvimento hormonal, infertilidade, aborto e obesidade. Por conta disso, já foi banido da Dinamarca, Canadá e Costa Rica. Na França, o projeto de lei de proibição do bisfenol-A já foi aprovado no senado e aguarda a passagem para a próxima instância. Nos Estados Unidos, vários estados e cidades já proíbem o uso do químico em produtos infantis. Mas e o Brasil?
Por aqui, a Anvisa continua liberando o uso de bisfenol na fabricação de mamadeiras, copinhos, pratinhos e brinquedos. E é por isso que criamos esse selo. Queremos, assim como foi no Canadá, a partir de uma revolução feita por mães, pedir a proibição do bisfenol nesses produtos.
Se você, assim como nós, quer seu filho livre de bisfenol, ajude a divulgar esse selo. Participe da campanha colocando o selo (imagem anexa) em seu blog.

Um grande abraço e muito obrigada
Fernanda Medeiros
Obs.: O leite materno é sempre a melhor opção e isso não se discute. A mamadeira em questão é a que deve ser usada quando é chegada a hora de suquinhos e outras vitaminas.
O que é bisfenol-A (BPA)?
O bisfenol-A é um produto químico usado na fabricação de plásticos. O BPA também é utilizado no revestimento interno de quase todas as latas de alimentos e bebidas, inclusive em latas de fórmula para bebês.
Por que o bisfenol A é usado em recipientes de comidas e bebidas?Porque ele é transparente, forte, leve e duradouro e torna o plástico mais resistente a rachaduras. O revestimento de BPA usado no interior de latas de comida e bebida evita que as latas enferrujem.
O contato com o bisfenol-A traz riscos à saúde?Nos últimos 10 anos, estudos com animais realizados em laboratório sugeriram que quantidades mesmo muito pequenas de bisfenol-A podem ser prejudiciais para a saúde, afetando principalmente o desenvolvimento de bebês e crianças pequenas.
Quais são os possíveis perigos do bisfenol-A para a saúde?
Os perigos incluem alterações no desenvolvimento do sistema nervoso do bebê (função da glândula tiroide e crescimento do cérebro); mudanças no comportamento e no desenvolvimento do intelecto (hiperatividade e agressividade). O bisfenol-A também foi associado à obesidade, problemas cardíacos, diabetes, câncer, puberdade precoce e tardia, abortos, infertilidade e anormalidades no fígado. Pesquisas já associaram o químico a problemas sexuais em homens, como a diminuição da qualidade e da quantidade de esperma.
Como estamos expostos ao bisfenol A?
Bebês e crianças: há duas formas mais comuns de contato com o BPA:
1 – O BPA pode ser transmitido para criança através do consumo de alimentos ou bebidas acondicionadas em plástico, como mamadeiras, copinhos, pratinhos e talheres. É importante salientar que o aquecimento da mamadeira leva a um maior desprendimento do bisfenol-A, no entanto, em mamadeiras de plástico a migração vai acontecer independe dela ser aquecida ou não.
2. O BPA também pode migrar de latas, como as de leite em pó, e assim ser ingerido pela criança. É cientificamente comprovado que o bisfenol-A passa pela placenta e a contaminação do feto ocorre sempre que a mãe ingerir um produto que esteve em contato com o químico.
Adultos: Pela ingestão de alimentos ou bebidas provenientes de latas, recipientes plásticos usados para guardar alimentos na geladeira, garrafas (squeezes) e garrafões.
Como evitar o contato com o bisfenol A?
– Consuma frutas e hortaliças frescas. Ao comprar conservas prefira as de vidro.
– Não aqueça comidas ou bebidas em recipientes de plástico.
– Rejeite qualquer recipiente de plástico que estiver velho, gastou ou turvo. Isto inclui garrafas d’água.  Para acondicionar alimentos prefira os de aço inox, cerâmica ou vidro.
Como proteger o meu bebê do bisfenol A?
– Evite ingerir bisfenol-A se estiver grávida ou em fase de amamentação;
– Dê leite materno;
– Prefira mamadeiras de vidro ou que tenham o selo BPA free.
Para mais informações, pesquisas e notícias sobre o bisfenol-A: www.otaodoconsumo.com.br

E então? Vamos divulgar?